APÓS DENÚNCIA, ANAC INTERDITA AERONAVE QUE TRANSPORTARIA CLAUDIA LEITTE
  • 92
  • 0
  • 15/04/2019 
  • redacao

Foto: Reprodução / Instagram @claudialeitte

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) interditou uma aeronave por prestar serviço de táxi-aéreo irregular, em Salvador, na tarde dessa quarta-feira (17). Um dos passageiros do avião, que seguiria para o aeroporto de Congonhas, em São Paulo, era a cantora Claudia Leitte.

Segundo informações da própria Anac, a interdição foi motivada por uma denúncia recebida no dia anterior. Com isso, a ação da campanha “Voe seguro, não use táxi-aéreo clandestino” constatou que nem a empresa Agropecuária Letícia Ltda. nem a aeronave, de matrícula PR-OLB, possuíam autorização para prestar o serviço. Dessa forma, eles não poderiam realizar o transporte remunerado sem garantir as condições necessárias de segurança – o táxi-aéreo pirata é uma infração ao Código Brasileiro de Aeronáutica e pode configurar crime. Além disso, as habilitações dos dois pilotos responsáveis pela operação também foram suspensas.

Em nota publicada em seu site, a agência informa que após a conclusão da investigação ou até durante o andamento do processo administrativo instaurado, os pilotos e o operador da aeronave poderão ser multados e ter suas licenças e certificados cassados. O caso será informado ao Ministério Público e à Polícia para que as instituições também tomem as medidas cabíveis.

CAMPANHA INTENSA

A Anac lembra ainda que no dia 29 de setembro interditou, pela segunda vez, a aeronave que transportaria a cantora Anitta pelo mesmo motivo. Marília Mendonça, Amado Batista e a dupla Maiara e Maraísa são outros artistas que já passaram pela situação. O objetivo da campanha é coibir a prática clandestina de comercialização de serviços aéreos, além de orientar os usuários do serviço para uma viagem segura. BN