ITACARÉ: PROJETO DE INCLUSÃO SOCIODIGITAL ATENDE DEZENAS DE CRIANÇAS E JOVENS
  • 586
  • 0
  • 20/04/2021 
  • redacao

Garantir aos estudantes de baixa renda o acesso a internet, possibilitando o acompanhamento das aulas remotas e realizar pesquisas escolares. Esse é o resultado do Ponto de Apoio ao Estudante (PAE), um projeto de inclusão sociodigital desenvolvido por André Oliveira, em parceria com a Prefeitura Municipal de Itacaré e a Intertel que já vem atendendo a diversos moradores do bairro da Passagem.

O Ponto de Apoio ao Estudante fica localizado na Rua das Flores, Nº 86, no Bairro da Passagem. As atividades são realizadas de segunda a sexta-feira, pela manhã, tarde e noite, sendo que o turno da noite será destinado para cursos de informática para a terceira idade. O projeto, com prazo de execução indeterminado, tem a previsão de 200 atendimentos por semana. Através dessa iniciativa, os adolescentes e jovens que não tem a mínima condição para comprar um computador, dispositivos móveis e nem para adquirir um plano de acesso à Internet para assistirem suas aulas remotas durante a pandemia do Coronavírus terão a oportunidade de frequentar, gratuitamente, o Ponto de Apoio ao Estudante.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, comemorou a iniciativa, pois garante o acesso dos alunos à internet, possibilitando um acompanhamento cada vez maior das aulas remotas. De acordo com os idealizadores do projeto, a cada duas horas um grupo de cinco crianças terão acesso ao computador, cumprindo todos os critérios do protocolo de prevenção ao Covid-19: uso de máscaras, mesas afastadas, disponibilização de sabonete líquido, papel toalha, dispensadores de álcool gel 70%, lixeira com tampa acionada por pedal; ambientes limpos, arejados e organizados com desinfecção.

A iniciativa também serve para impedir futuros problemas de saúde de meninos e meninas que não têm uma tela adequada para ler as suas tarefas diárias, pois o celular não é o mais indicado para estudar por longas horas, podendo trazer vários prejuízos à visão, tais como: miopia, dificuldade para dormir, dores de cabeça, ressecamento dos olhos, vermelhidão, percepção espacial alterada, visão dupla e até danos ao nervo óptico, entre outros.

Os idealizadores pretendem ampliar ainda mais o projeto no local. Em parcerias com diversos profissionais, o projeto oferecerá cursos de edição de vídeo, informática básica, edição de fotos, coreldraw, aula de violão, cursos de barmen, coquetéis, dentre outros.(Fonte: SECOM-Secretaria de Comunicação/Prefeitura de Itacaré)