UMA LUZ E UMA LETRA (Por Amadeu Garrido (*)
  • 839
  • 0
  • 09/05/2017 
  • Redação

 AMADEU GARRIDO

Leves, duras, finas, as pedras

Da língua, dos braços e corações

És o dia da vida, dia das letras

Que homens das matas e das feras

Desenharam para avançar os sinais

Que trocavam com os animais

Letras, agulhas do idioma

O meu, o seu, o deles

Não sei se viveria sem o s

Talvez morresse com o d

Amasse o a e despossasse o b

Formasse o m

Com duas viagens ao Porto

E navegasse com o l

Encontrasse o imenso J,

Que me dera, Jesus, amainar seus pés

Que melhor casa, letras,

Que a estação da luz,

Mensagem e primavera da Europa

O mundo incrível da primeira vinda

A esta terra das novas letras

Para dormir no castelo encantado

E acordar ao apito

Do primeiro trem

Vindo de longe, muito longe,

Com elas brincaram todos os poetas

E formaram versos que nos levaram

A meditar sobre os seres

Habitantes da Terra
Filha de uma luz e uma letra. 

 
 é Advogado e sócio do Escritório Garrido de Paula Advogados.