PREFEITURA DE IPIAÚ DEIXA FAMÍLIAS SEM ACESSO A ÁGUA POTÁVEL
  • 341
  • 0
  • 24/12/2018 
  • redacao

 

Fica evidente que a prefeita fez essa promessa no calor do período eleitoral e não cumpriu

 

Aproximadamente 15 Famílias ficaram de fora do Programa Aumento da Oferta de Água na Zona Rural, implantado na Zona da Canoa Virada, priorizando a Comunidade do Passa com Jeito.

O Programa que é desenvolvido pela Companhia de Engenharia Ambiental da Bahia (Cerb), tem como foco principal a ampliação do acesso de abastecimento de água para a população baiana.

Dentre as Linhas de ação do Programa, está: 1.Abastecimento de água, que  compreende a perfuração e operação de poços; a construção de cisternas para captação de água de chuva; a construção e operação de barragens; a implantação, ampliação e melhorias de sistemas de abastecimento de água.

No caso da Zona da Canoa Virada, em Ipiaú, realizou-se a perfuração de poço visando a oferta de água de qualidade para as famílias que precisam. Porém, algumas famílias foram excluídas deliberadamente pela Prefeitura de Ipiaú, que atuou como mobilizadora e organizadora do processo.

O Instituto SOS Rio das Contas, ong que atua na promoção do desenvolvimento humano sustentável e possui sua sede na Estação Ecológica Rio das Contas, situada a aproximadamente mil metros da comunidade Passa com Jeito, denuncia o fato de nunca ter sido convidada para as reuniões sobre o sistema de abastecimento.

Em sua área e vizinhança, habitam nove famílias, desde crianças a idosos. No entanto, nunca foram convidados ou cadastrados para receber o benefício da água potável.

Segundo moradores do Passa com Jeito, material tinha suficiente para levar água para todas as famílias, no entanto, muitas famílias ficaram de fora e o material ninguém sabe que fim levou.

Emídio Neto, responsável pela gestão da Estação Ecológica Rio das Contas, fala que é preocupante a forma como se deu a implantação do programa na comunidade, pois além de não se discutir aspectos como pertença, responsabilidades com o sistema e gestão participativa, se assiste a Prefeitura solicitar que os moradores paguem uma conta de energia do sistema, pois a mesma está em nome da CERB e a Prefeitura não pode pagar.

Fica evidente que tudo foi feito no calor do período eleitoral, sem transparência e a necessária clareza para a população. O que representa um risco para o futuro do sistema, caso não se prepare e capacite a comunidade para a gestão participativa do mesmo.

O Instituto SOS Rio das Contas juntamente com o PAPAMEL cobram da Prefeitura de Ipiaú o pleno atendimento as demais famílias na área de abrangência de implantação do sistema de abastecimento de água.