OFICIALIZADO CANDIDATO, ACM NETO PROMETE EMPENHO NO COMBATE À CRIMINALIDADE
  • 283
  • 0
  • 05/08/2022 
  • redacao

A convenção estadual do União Brasil, feita em conjunto com outros 12 partidos, formalizou chapa majoritária para as eleições de 2022 na Bahia, nesta sexta-feira (5), em Salvador. ACM Neto é o candidato da coligação a governador, acompanhado por Ana Coelho (REP), candidata a vice-governadora, e por Cacá Leão (PP), postulante ao Senado.

Além das três siglas representadas diretamente na majoritária (UB, PP e REP), integram a coligação PSDB, PDT, PSC, Solidariedade, Cidadania, Podemos, PRTB, PTB, DC e PMN.

SEGURANÇA PÚBLICA

Um das bandeiras da candidatura de ACM Neto é o enfrentamento da criminalidade na Bahia. Na coletiva que antecedeu a convenção, ele criticou a política de segurança pública do estado.

A crítica partiu de uma comparação do momento atual com o do ano da sua primeira eleição para a Prefeitura de Salvador, 2012. Naquela época, segundo Neto, os soteropolitanos não acreditavam na capacidade de gestão dos seus representantes políticos.

– Há dez anos, eu era candidato a prefeito de Salvador e o que eu encontrei nessa cidade, muito mais do que buraco, do que lixo, do que a cidade escura, do que problemas na educação, na saúde, o que eu encontrei em Salvador foi o descrédito, foi a desconfiança das pessoas. Foi a falta da esperança das pessoas nos seus representantes – disse.

Na avaliação do candidato a governador, situação análoga ocorre hoje no caso da segurança pública do estado. “Esse descrédito, essa falta de expectativa de que alguém possa chegar e resolver, é resultado da política atual, do trabalho atual e da condução atual”.

Para ACM Neto, o governador Rui Costa (PT) não assume o papel que lhe cabe no conjunto dos esforços para que os índices de violência da Bahia sejam diminuídos. Ele prometeu que, se chegar ao Palácio de Ondina, não terá o comportamento que atribui ao petista.

– Eu vou assumir a responsabilidade. Quem me conhece sabe. Não vai ter essa história de não é comigo. É comigo, vai ser comigo, eu vou enfrentar o problema.

Ainda conforme o candidato do União Brasil, o governo atual tenta consolidar a ideia de que os índices de criminalidade e violência na Bahia refletem um problema nacional.

“A desculpa hoje é tão esfarrapada que vários estados do Brasil, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Goiás, reduziram, significativamente, os índices de violência nos últimos anos. Por que que a Bahia só fez crescer? Por incompetência, falta de governo”, concluiu.