PESQUISA APONTA CRESCIMENTO NO NÚMERO DE MORTES POR USO DE CALMANTE NOS E.U.A
  • 2.272
  • 0
  • 21/02/2016 
  • redacao
 Após o consumo de medicamentos benzodiazepínicos - popularmente conhecidos como calmantes-, nos EUA, entre 1996 e 2013.

Após o consumo de medicamentos benzodiazepínicos – popularmente conhecidos como calmantes-, nos EUA, entre 1996 e 2013.

Um estudo publicado nesta sexta-feira (19) no “American Journal of Public Health” revelou um acréscimo significativo do número de mortes por overdose após o consumo de medicamentos benzodiazepínicos – popularmente conhecidos como calmantes-, nos EUA, entre 1996 e 2013. Inicialmente produzido nos anos 60, os chamados ansiolíticos mudaram a forma de tratar os distúrbios psíquicos, sendo receitados para tratar insônia, ansiedade, estresse, fobias e outros transtornos de humor. Como tais problemas psicológicos tornaram-se comuns na sociedade moderna, tais drogas se tornaram os medicamentos psicotrópicos mais usados em todo mundo e, embora sejam mais seguros que no passado, o consumo indiscriminado ou associado a outras drogas é muito perigoso. De acordo com os pesquisadores liderados por Marcus Bachhuber, professor da Faculdade de Medicina Albert Einstein, em Nova York, os calmantes são os responsáveis por 31% das quase 23 mil mortes relacionadas a remédios controlados nos Estados Unidos em 2013, o que representa uma taxa de 3,14 mortes a cada 100 mil adultos naquele ano, com um aumento de mais de quatro vezes do número registrado em 1996. Os cientistas revelam ainda que as overdoses têm aumentado em uma taxa mais alta que o número de prescrições médicas das drogas, indicando que as pessoas estão se automedicando. No Brasil não há estatísticas a respeito de mortes relacionadas ao uso de tais medicamentos, mas os números do consumo de calmantes já são preocupantes. O clonazepan, distribuído no país sob a marca Rivotril, foi o sétimo medicamento mais vendido em 2012, de acordo com dados da IMS Health, consultoria especializada em dados da área de saúde.