ACIDENTE COM ÔNIBUS DA ÁGUIA BRANCA DEIXA 04 MORTOS DA MESMA FAMÍLIA
  • 1.597
  • 0
  • 24/09/2016 
  • redacao

Fiat Siena, de cor prata, placa policial MTL-6807, licenciado em Serra-ES., bateu de frente com um ônibus da Viação Águia Branca

Fiat Siena, de cor prata, placa policial MTL-6807, licenciado em Serra-ES., bateu de frente com um ônibus da Viação Águia Branca

Um grave acidente no início da madrugada deste sábado (24), no km 898 da BR 101, em Rancho Alegre, distrito de Caravelas, deixou o saldo trágico de quatro pessoas de uma mesma família mortas no local, inclusive uma criança. Um veículo Fiat Siena, de cor prata, placa policial MTL-6807, licenciado em Serra-ES., bateu de frente com um ônibus da Viação Águia Branca. Todas as vítimas eram capixabas. Segundo informações de agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que atenderam a ocorrência do acidente, o Siena trafegava do Espírito Santo para a Bahia e o ônibus seguia do sentido contrário, quando houve a colisão. Os policiais acreditam que a motorista do carro de passeio perdeu o controle da direção, o Siena rodou na pista e chocou violentamente contra o ônibus. No Siena viajavam Luciene Pereira Lima, de 47 anos, natural de Medeiros Neto, a filha dela que dirigia o carro, Gislane Lima Giovanella, 23, Valdine Silva dos Santos e um garoto, provavelmente neto de Luciene, que não teve o nome levantado. Todos morreram no local.

Luciene Pereira Lima, de 47 anos, natural de Medeiros Neto, a filha dela que dirigia o carro, Gislane Lima Giovanella, 23, Valdine Silva dos Santos e um garoto, provavelmente neto de Luciene, que não teve o nome levantado. Todos morreram no local.

Luciene Pereira Lima, de 47 anos, natural de Medeiros Neto, a filha dela que dirigia o carro, Gislane Lima Giovanella, 23, Valdine Silva dos Santos e um garoto, provavelmente neto de Luciene, que não teve o nome levantado. Todos morreram no local.

O ônibus da Águia Branca de prefixo 24220 saiu de Itamaraju às 23h30 com destino a Vitória-ES., com 44 passageiros a bordo, que nada sofreram. Do Siena só restou um monte de ferro retorcido. As vítimas tiveram múltiplas fraturas. Valdine teve uma perna dilacerada e a cabeça praticamente foi cortada ao meio. No local da tragédia existem redutores de velocidade construídos por reivindicação da população de Rancho Alegre, mas o que parece as lombadas não melhoraram os índices de acidentes fatais no trecho, que já fica bem próximo à divisa entre os municípios de Caravelas e Teixeira de Freitas. A delegada Waldizia Fernandes, de plantão na 8ª Coorpin, foi a responsável pelo levantamento cadavérico e ainda acompanhou os trabalhos da perícia de local a cargo dos peritos Paulo Libório e Pablo Bonjardim, do Departamento de Polícia Técnica de Teixeira de Freitas (DPT), para onde os corpos acabaram sendo removidos para exames de necropsia. (Teixeira News)