Crime organizado mantém foco em fraude de boletos de pagamento (Por : Fernando Carbone (*)
  • 997
  • 0
  • 25/01/2017 
  • redacao

Fernando-Carbone

Instrumento tem feito vítimas e causado prejuízos materiais e imateriais para companhias; abordagem exige inovação   

Janeiro de 2017 – Enquanto o mercado se prepara para a adoção, em 2017, das novas regras do Banco Central para modernizar o sistema de liquidação e compensação de boletos de pagamento, o instrumento tem sido alvo de fraudes e segue como motivo de preocupação entre o empresariado.

Segundo Fernando Carbone, diretor sênior da Kroll no Brasil e especialista em segurança da informação, tem crescido recentemente o número de companhias que procuram a consultoria como vítimas do golpe e acusando sérios prejuízos financeiros.


“São muitos os contatos e consultas por executivos preocupados não apenas em identificar eventuais falhas de controle que possibilitaram o desvio, mas também o destino dos recursos, numa tentativa de reavê-los”, comenta.

O trabalho de investigação é complexo, pode levar tempo e, por isso, exige abordagens inovadoras para que os objetivos sejam atingidos.

Por fazer parte da rotina financeira dos brasileiros e movimentar cifras vultosas – de acordo com a Febraban, anualmente são pagos mais de 3,5 bilhões de boletos de produtos e serviços –, o instrumento é alvo do interesse de quadrilhas com métodos extremamente sofisticados.

Para conseguir acesso a informações privilegiadas, nem sempre os fraudadores recorrem a ciberataques. “Em muitos casos, o vazamento de dados conta com cooperação interna na empresa, ainda mais se não existe um ambiente de compliance estabelecido”, diz Carbone.

Nesse contexto, as vítimas têm demandado novas abordagens e perspectivas para a solução do problema. “Na tentativa de oferecer uma resposta assertiva à necessidade de recuperar perdas, criamos uma metodologia forte de investigação e com foco na origem da fraude, que, em última instância, também retroalimenta os mecanismos de gestão de risco”, explica Carbone.

O especialista acredita que as mudanças previstas para maior segurança e confiabilidade de boletos de pagamento devem coibir o crime organizado. “Até que elas estejam totalmente em prática, no entanto, é recomendada atenção permanente; do contrário, há de fato chances reais de prejuízos ao patrimônio e imagem das corporações”.

Sobre a Kroll

A Kroll é líder mundial em gestão de riscos e investigações corporativas. Há mais de 40 anos, ajuda seus clientes a tomarem decisões sobre negócios, pessoas e ativos, por meio de uma ampla gama de serviços para prevenir e mitigar riscos.