Contribuintes devem se preparar desde já para a declaração do IR 2017, que começa em março
  • 264
  • 0
  • 07/02/2017 
  • Redação

leiao

Antes de fazer a declaração do Imposto de Renda 2017 (ano-base 2016), o contribuinte deve providenciar todos os documentos necessários para acertar as contas com a Receita Federal. “Estimulamos nossos clientes a reuni-los com antecedência para nos entregar tudo logo no início de março”, alerta o Contador e sócio da W/ASA Assessoria Contábil e Escritório Virtual, Wilson Alves. As declarações deste ano começam a ser recebidas pelo Fisco no dia 2 de março e o prazo final para apresentação dos documentos é dia 28 de abril.

Entre os principais documentos a serem apresentados ao Contador que fará os cálculos para a declaração do IR estão os Informes de Rendimentos, que discriminam valores de salários, pró-labore (para autônomos), aposentadoria e/ou pensão do INSS, se for o caso. Além disso, é preciso reunir todos os documentos que comprovem a compra ou venda de imóveis, veículos e outras posses; extrato de conta bancária; recibos ou notas que comprovem gastos com educação e saúde (para abatimento).

De acordo com a Contadora Sonildes Alves, outra sócia da W/ASA, os contribuintes devem reunir, ainda, “comprovantes de dívidas contraídas ou pagas no ano-base 2016, informe de pensão alimentícia, comprovantes de doações ou herança recebida e apuração do imposto no ganho de capital (lucro) e de patrimônio”, detalha a contadora.

Por que contratar um contador? Apesar dos avanços da Receita Federal no sentido de facilitar o processo para que o próprio contribuinte preencha sua declaração anual, o fato é que este preenchimento costuma gerar diversas dúvidas, tanto sobre o que deve ser declarado, quanto sobre a forma correta de fazê-lo. As dúvidas são mais frequentes em casos de alienação ou aquisição de bens durante o ano, resgate de aplicações no mercado financeiro ou em

 

fundos de previdência e movimentações financeiras no exterior, entre outras situações. Neste momento, a experiência de um bom contador é de muito valor, pois facilita e dá segurança ao processo.

Além disso, em decorrência do preenchimento incompleto ou errado da declaração, principalmente em situações mais complexas, como aquelas que envolvem diferentes fontes de renda, muitos dependentes ou aplicações financeiras, o contribuinte pode acabar caindo na “malha fina” apenas por falta de conhecimento e não necessariamente pela intenção de burlar o fisco. Neste caso também, a segurança de uma assessoria contábil pode fazer a diferença.

Pode não ser tão simples escolher o modelo ideal de declaração, se o simples ou o completo, ou qual a melhor alternativa entre apresentar a declaração dos cônjuges e dependentes em conjunto ou separado. O impacto dessas escolhas no valor a pagar ou a ser restituído pelo fisco é grande e por isso “é melhor não arriscar. Contar com o auxílio de um contador para o Imposto de Renda em virtude do conhecimento desse profissional acerca das particularidades de cada situação aumenta a segurança do contribuinte”, explica Sonildes Alves.

A especialista, que preenche dezenas de declarações anualmente há cerca de 25 anos alerta, porém, que a veracidade dos dados informados não é de responsabilidade do Contador. “Nós orientamos pessoas a respeito da forma correta de preencher a declaração, mas a veracidade das informações que nos são confiadas é responsabilidade do contribuinte”, conclui.

W/asa Assessoria Contábil e Escritório Virtual
Telefone: (71) 99926-6898