MULHER É PRESA ACUSADA DE MATAR DOIS NAMORADOS EM 07 MESES COM CHUMBINHO EM ITABUNA
  • 171
  • 0
  • 12/06/2018 
  • redacao

Wane Brenda Oliveira envenenou dois homens por não aceitar fim dos relacionamentos… –

 

Uma mulher foi presa nesta segunda-feira (11) na cidade de Itabuna, na Bahia, acusada de envenenar e matar dois homens com quem manteve relacionamentos entre abril e novembro de 2017. Wane  Brenda Gonçalves de Oliveira, 34, teve sua prisão decretada pela delegada Magda Figueiredo, titular da Delegacia de Homicídios do município (DH). A Polícia Civil informou ao UOL que a suspeita usou chumbinho para matar os parceiros, assim que descobri que eles tinham a intenção de terminar o relacionamento. Os casos aconteceram em um intervalo de sete meses e são investigados pelas autoridades de forma conjunta

O chumbinho é um produto vendido clandestinamente, sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Quando ingerido por humanos, provoca, em menos de uma hora, sintomas como náuseas, vômito, sudorese, salivação excessiva, dor abdominal, diarreia, taquicardia e contração da pupila.

Edvaldo Araújo Alves, 40, foi o primeiro a ser morto. Ele se relacionava com Wane há um ano, quando se sentiu mal na casa da namorada por volta de 23h do dia 16 de abril de 2017. O homem foi socorrido por ela e levado de táxi ao Hospital de Base de Itabuna, onde morreu. Na época do crime, a morte foi atribuída a um infarto fulminante;

“A versão não convenceu a família da vítima, que sabia sobre a insatisfação de Alves com o relacionamento e o desejo de rompê-lo. Segundo os familiares, o fato também era de conhecimento de Brenda”, explicou a delegada Magda Figueredo

 Meses depois, ela começou um novo namoro, com Evandro Bonfim de Souza. Ele sentiu-se mal depois de ingerir um medicamento dado pela parceira e também foi levado por ela a uma unidade de saúde, em novembro de 2017. O médico que o atendeu informou que os sintomas apresentados se assemelhavam aos mesmos de envenenamento por chumbinho. Nove dias após dar entrada no hospital, período em que teve Wane como acompanhante, Souza teve uma parada cardíaca. Ao ser submetido a uma lavagem estomacal, foram encontrados vestígios de uma substância semelhante ao veneno. Seu estado de saúde piorou e, no dia 3 de dezembro, o homem teve morte cerebral.

Foi então que a Polícia Civil da Bahia instaurou inquérito para apurar as circunstâncias das duas mortes. O Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Itabuna colheu amostras do corpo de Souza. A Delegacia de Homicídios conseguiu autorização da Justiça para exumar o corpo de Alves.

Os materiais foram analisados pelo DPT em Salvador e revelaram que as duas vítimas foram assassinadas com a utilização do mesmo veneno. “A agilidade no resultado da perícia foi fundamental para  resolvermos o caso”, pontuou a delegada. Wane Brenda teve mandado de prisão preventiva cumprido na tarde dessa segunda-feira (11), no bairro Califórnia, em Itabuna