SEM CHEIRO, GÁS QUE MATOU BRASILEIROS NO CHILE LEVA À MORTE POR ASFIXIA
  • 124
  • 0
  • 24/05/2019 
  • redacao

Da esq. para dir.: Felipe Nascimento de Souza, 13, Débora Muniz Nascimento de Souza, 38, Fabiano de Souza, 41, e Karoliny Nascimento de Souza, 14. Karoliny completaria 15 anos na sexta (24)

Sem cheiro, gosto ou cor, o gás que matou uma família de brasileiros que comemorava um aniversário no Chile pode levar à morte tão rápido que pedir socorro nem sempre é suficiente. De acordo com a polícia chilena, um vazamento de gás causou a morte de seis brasileiros de uma mesma família que viajaram até a cidade de Santiago para comemorar o aniversário de 15 anos da adolescente Karoliny Nascimento de Souza. Segundo o Itamaraty, a família dos brasileiros recebeu telefonemas dos parentes dizendo falavam coisas desconexas e sem sentido. Os sintomas condizem com intoxicação.

Os bombeiros testaram o ar dentro do apartamento, alugado por meio do site de reservas Airbnb, e encontraram altas concentrações de monóxido de carbono. “De 5.000 a 6.000 pessoas morrem por ano no mundo por intoxicação por monóxido de carbono”, estima o toxicologista e coordenador do Ceatox (Centro de Assistência Toxicológica) de São Paulo, Anthony Wong. Como ele é usado para aquecer o ambiente, em geral o local não tem ventilação ou correntes de ar. “É um gás que não tem cheiro, gosto ou cor. Ele surge da queima de combustível e gera grande quantidade de gás carbônico (CO2) e, em menor concentração, o CO, o monóxido de carbono que matou a família”, explica Alvaro Pulchinelli. (Do UOL, em São Paulo/Wanderley Preite Sobrinho)