VILA GALÉ QUER CONSTRUIR RESORT DE LUXO EM ÁREA DEMARCADA NA COSTA DO CACAU
  • 195
  • 0
  • 29/10/2019 
  • redacao

 

 

A Embratur quer que a Funai desista da demarcação de terra indígena na Bahia para a construção de um resort no local. A empresa de turismo, subordinada ao Ministério do Turismo de Jair Bolsonaro, encaminhou um ofício à Fundação Nacional do Índio (Funai), no qual fala do “interesse no encerramento” do processo de demarcação de terras do povo Tupinambá, no Sul da Bahia.

Existe a intenção de um grupo português de hotéis na instalação de dois resorts no local e menciona a necessidade de “segurança jurídica” para que o investimento seja feito. O caso foi divulgado inicialmente pelo The Intercept Brasil e o G1 também teve acesso ao documento. Números da Funai indicam que a terra indígena está delimitada em uma área de 47,3 mil hectares, alcançando os municípios de Una, Ilhéus e Buerarema.

No local vivem 4,6 mil indígenas. A empresa portuguesa interessada em construir resort no local se chama Vila Galé. No site dela, é possível observar o anúncio do projeto, previsto para 2021. O empreendimento é chamado de Vila Galé Costa do Cacau.