RETINOPATIA DIABÉTICA PODE LEVAR À CEGUEIRA IRREVERSÍVEL, ALERTA OFTALMOLOGISTA
  • 181
  • 0
  • 29/11/2019 
  • redacao

Para encerrar o mês de combate ao diabetes, médica da ProVer Oftalmologia fala dos cuidados e tratamentos para portadores da doença

Responsável por mais de 400 mil mortes no Brasil, entre os anos de 2010 e 2016, de acordo com dados do Ministério da Saúde, o diabetes é uma doença que traz consigo complicações por conta das as altas taxas de glicose no sangue. Dentre as doenças que podem ser adquiridas pelo portador do diabetes está a retinopatia diabética que, quando não tratada adequadamente, pode levar à perda irreversível da visão.

Para encerrar o mês de combate ao diabetes (novembro), a médica da ProVer Oftalmologia, Verônica de Castro Lima, alerta que o controle inadequado da glicemia e a duração da doença por mais de 10 anos são alguns dos fatores que podem acelerar o aparecimento da retinopatia.

“Outros fatores que podem piorar o prognóstico são gravidez, anemia, hipertensão arterial sistêmica, tabagismo e doença renal, entre outros”, alerta. Pessoas na faixa etária de 30 a 65 anos estão entre a população afetada com maior frequência.

Ainda de acordo com a médica, o diabetes pode afetar a visão de diversas formas. “Pacientes diabéticos podem mencionar embaçamento visual relacionado ao aumento excessivo dos níveis de açúcar no sangue, o aumento da glicemia, o que altera o índice de refração do olho. Além disso, os pacientes têm mais propensão a desenvolver catarata e oclusões vasculares da retina (derrames no fundo do olho). Porém, a principal causa de perda visual entre os portadores de diabetes é a retinopatia diabética”, complementa.

A doença

A retinopatia diabética se manifesta por alterações nos vasos sanguíneos da retina, com consequente isquemia do tecido retiniano e aparecimento de hemorragias e edema na mácula. Em estágios mais avançados, pode levar ao aparecimento de complicações mais graves, como hemorragia vítrea e descolamento tracional de retina.

“Os efeitos da retinopatia diabética na visão variam a depender do estágio da doença, que pode ser assintomática nas fases iniciais. Possíveis sintomas são turvação visual, moscas volantes, flashes de luz e perda repentina da visão. A melhor forma de prevenção é exame periódico efetuado por um médico oftalmologista”, acrescenta a Drª. Verônica de Castro Lima.

Para detectar a presença de retinopatia diabética, o médico oftalmologista examina o fundo do olho por meio do mapeamento de retina ou fundoscopia. É importante que as pupilas sejam dilatadas com colírios para um exame adequado e completo. Exames complementares podem ser necessários para o acompanhamento e orientação do tratamento, como a angiofluoresceínografia (exame feito com contraste que analisa os vasos da retina) e a tomografia de coerência óptica (OCT). Como a doença pode ser assintomática no início, a prevenção é essencial.

“Na ProVer Oftalmologia, dispomos de toda a estrutura para que possamos obter o diagnóstico e indicar o tratamento adequado em cada caso, desde os casos mais precoces aos mais avançados. Esta análise é importante para que se evite a cegueira irreversível”, afirma a médica.

Tratamentos

Após o diagnóstico, o paciente deve ser acompanhado regularmente através de exames periódicos, sem necessidade de tratamento em casos de estágios iniciais da doença. Pacientes diagnosticados com edema macular diabético podem se beneficiar de tratamentos com drogas injetáveis intra-vítreas, como os anti-angiogênicos e corticoides.

Em casos de retinopatia proliferativa, a fotocoagulação a laser é utilizada para deter o avanço das alterações retinianas e, se possível, melhorar a qualidade da visão. Em casos mais avançados, o tratamento cirúrgico da retina pode ser necessário para evitar a cegueira.

Dia Mundial do Diabetes

O Dia Mundial do Diabetes, celebrado em 14 de novembro, foi criado em 1991 pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) junto à Organização Mundial de Saúde (OMS) para conscientizar o mundo inteiro sobre os problemas associados à doença: alta mortalidade por doenças cardiovasculares (infartos e insuficiência cardíaca), AVC (derrame), complicações específicas da doença, como insuficiência renal, perda da visão, alteração de sensibilidade nos membros inferiores e consequentes úlceras e amputações.

No Brasil, diversas ações são realizadas para que a população possa entender mais sobre a doença e como preveni-la. As atividades auxiliam na divulgação e reforçam a importância do diagnóstico e tratamento preventivo, além de mostrar aos governos a importância de investimento na área de saúde.

Sobre a ProVer Oftalmologia

O grupo ProVer foi criado a partir da união de oftalmologistas que atuam em diversas subespecialidades da oftalmologia, utilizando conhecimento científico baseado em evidências e os melhores e mais modernos equipamentos para diagnóstico e tratamento. O grupo foi idealizado para oferecer cuidado oftalmológico de excelência, promovendo prevenção, cura e reabilitação do mais importante dos nossos sentidos, a visão.

A clínica ProVer Oftalmologia está situada na Av. Antônio Carlos Magalhães, 771, Ed. Empresarial Torre do Parque, salas 607 a 610, Itaigara. Outras informações sobre os exames e procedimentos realizados pela unidade médica podem ser obtidas pelos telefones (71) 3034-3200 / 3353-7553 / 3027-9907.