ABUSO DE ÁLCOOL AUMENTA RISCO DE DERRAME CEREBRAL EM MULHERES
  • 358
  • 0
  • 11/12/2014 
  • Redação

Mulheres têm quatro vezes mais chances de morrer com o abuso do álcool

Mulheres têm quatro vezes mais chances de morrer com o abuso do álcool

Em torno de 12% da população mundial sofre com o uso descontrolado e em quantidades cada vez maiores do álcool. O hábito lesiona  quase todas as células do organismo, causando danos diretos como as doenças cerebrais, nervosas, do coração, pâncreas, fígado e estômago, além de potencializar outros problemas como  obesidade,  diabetes, a pressão alta, entre outros.

Explicar como o abuso vira dependência não é fácil, porque, além dos fatores biológicos, sociais, existem os psicológicos. O cardiologista  Fábio Vilas-Bôas ressalta que o abuso de bebida alcoólica aumenta o risco do acidente vascular cerebral (derrame).

“Nas mulheres, em especial, o abuso do álcool aumenta em até quatro vezes o risco de mortalidade, uma vez que a intoxicação produz uma substância chamada formaldeído, que é muito tóxica para os vasos”, explica.

Instituto de Saúde Coletiva realiza ações para cuidar do pé diabético

No Brasil, cerca de 10 milhões de pessoas estão com diabetes e sofrem com as repercussões e agravamento do chamado pé diabético, que consiste nas alterações provocadas pela doença nessa parte do corpo. Na Bahia, 8% da população é portadora da doença.

Para ampliar o trabalho de prevenção e cuidados com o pé diabético, um grupo de pesquisadores do Instituto de Saúde Coletiva, unidade da Universidade Federal da Bahia, desenvolve um projeto de assistência específico para esse público na Unidade de Saúde da Família, em Santa Mônica.

O coordenador do projeto, o sociólogo e doutor em Saúde Coletiva Marcelo Castellanos, ressalta que a meta do grupo é realizar a prevenção e o manejo do pé diabético no distrito sanitário da Liberdade.

O cirurgião vascular do Hospital Universitário Edgard Santos Cícero Fidelis diz que o problema ainda é desconhecido por parte do público portador da doença.