INSPETOR DA PRF É MORTO POR SOLDADO DA PM EM BRIGA DE BAR NA BAHIA; POLICIAL SEGUE INTERNADO
  • 761
  • 0
  • 25/10/2015 
  • redacao
Hamilton Safira foi morto com um tiro na perna por um PM (Foto: Reprodução)

Hamilton Safira foi morto com um tiro na perna
por um PM (Foto: Reprodução)

O inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Hamilton Safira Segundo, 42 anos, foi morto, na madrugada deste sábado (24), durante uma briga de bar envolvendo o soldado da Polícia Militar Ubiratan dos Santos Borges, em Euclides da Cunha, Nordeste do estado.

O PRF Hamilton foi atingido na perna direita, não resistiu ao ferimento e morreu. Ele era natural de Salvador e atuava na PRF havia nove anos. Hamilton era chefe do núcleo de policiamento da PRF, em Feira de Santana. O corpo dele foi enterrado neste sábado, no Cemitério Jardim da Saudade, em Brotas.

 soldado Ubiratan Borges levou quatro tiros do PRF (Foto: Reprodução)

soldado Ubiratan Borges levou quatro
tiros do PRF (Foto: Reprodução)

Já o soldado da PM, lotado na Companhia Especial Tático Operacional (Ceto), do 5º Batalhão da Policia Militar de Euclides da Cunha, foi atingido por tiros no tórax, perna e braço. Ele passou por cirurgia e segue internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
O Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais (SINPRF) informou que a 10ª Superintendência Regional da Polícia Rodoviária Federal está trabalhando com o apoio da PM para investigar o caso.
O homem que iniciou a briga com o PM não foi localizado, mas imagens da câmera de segurança do bar poderão identificar o rapaz. O dono do bar, funcionários, uma pessoa que socorreu o PM e outras que estavam no bar no momento da troca de tiros também já foram ouvidas. “As testemunhas dizem que o PM estava desarmado no momento em que foi baleado. Já analisamos as imagens e encaminhamos para a perícia para confirmar as circunstâncias e a identificação do homem bêbado”, disse o delegado.

O carro do Promotor foi incendiado pela população

O carro do Promotor foi incendiado pela população

Uma equipe da Polícia Civil está no HGCA acompanhando o PM, mas, segundo o titular da 25ª Coorpin, o soldado não está sob custódia. A arma do PM foi encaminhada para a perícia.

O PRF Hamilton estava com o primo, o promotor Pedro Safira Costa Andrade, no Bar Princesinha, na Praça Duque de Caxias. Enquanto o PM Ubiratan estava na praça, acompanhado da namorada.

Testemunhas contaram à Polícia Civil que, por volta das 2h30, o PM estava dentro de carro estacionado na praça, quando um homem bêbado se aproximou, ofendeu o policial e foi para a frente do bar.

O soldado, então, desceu do carro e deu um soco no rosto do homem alcoolizado. O promotor, que estava dentro do bar, correu para socorrê-lo. “O PM deu as costas e saiu. Quando ele se aproximava do carro, o PRF atirou. Como o PM já estava perto do carro, pegou a arma e revidou”, disse o delegado Miguel Vieira, titular da 25ª Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Vitória da Conquista). Mesmo baleado com quatro tiros, o PM conseguiu efetuar o único disparo que matou o policial rodoviário.
Os dois foram socorridos por amigos e testemunhas para o Hospital Municipal de Euclides da Cunha e, em seguida, encaminhados para o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), em Feira de Santana.

Por volta das 4h30, o carro do promotor Pedro Safira, que estava estacionado na praça, foi incendiado. A polícia não soube informar quem ateou fogo no veículo. As chamas foram apagadas, o carro periciado e encaminhado para um depósito.
O revólver do PRF sumiu. “Nós não localizamos. Parece que a arma, uma ponto 40, foi colocada dentro do carro que prestou socorro ao inspetor, mas também não localizamos a pessoa que fez o socorro e nem o carro. Não estava dentro do carro incendiado”, concluiu o delegado. (Correio)