MORRE GAÚCHO, EX-FLAMENGO E PALMEIRAS , AOS 52 ANOS
  • 2.755
  • 0
  • 18/03/2016 
  • redacao
 Luís Carlos Tóffoli, o Gaúcho, foi revelado na Gávea em 1982

Luís Carlos Tóffoli, o Gaúcho, foi revelado na Gávea em 1982

O jogador Gaúcho faleceu nesta quinta-feira, em São Paulo, aos 52 anos de idade, vítima de um câncer de próstata. O ex-atacante foi campeão brasileiro de 1992 pelo Flamengo, clube que o revelou. Ele ainda acumulou passagem pelo Palmeiras, destacando-se no Campeonato Paulista de 1989. O enterro acontecerá entre segunda e terça-feira da próxima semana. Luís Carlos Tóffoli, o Gaúcho, foi revelado na Gávea em 1982 e fez uma verdadeira peregrinação antes de se firmar. Defendeu, entre outros, o XV de Piracicaba, Grêmio, Verdy Kawasaki e o Santo André. O Palmeiras então o contratou e viu o jogador se destacar no Palestra Itália. Apesar da sua função ser fazer gols, ele ficou famoso quando impediu que os adversários balançassem as redes. Em uma partida contra o Flamengo, pelo Brasileirão de 1988, o goleiro Zetti se machucou e o Palmeiras já havia feito todas as suas substituições. Gaúcho então colocou as luvas e assumiu a posição de goleiro. O jogo terminou empatado, em 1 a 1, e o regulamento previa que a definição deveria ser nos pênaltis. Gaúcho converteu a sua cobrança e ainda defendeu as batidas de Aldar e de Zinho, pelo Rubro-Negro. Fã do atacante, o atual presidente Paulo Nobre chegou a lançar uma camiseta comemorativa pelas defesas, relembrando o ocorrido. Pelo Palmeiras, ele jogou 79 partidas e marcou 31 gols. Depois do clube paulista, o atacante retornou ao Flamengo, onde brilhou, vencendo o Campeonato Brasileiro de 1992 e as Copas do Brasil de 1990 e 91. Na final do Brasileirão de 92, Gaúcho apareceu bem contra o Botafogo, no primeiro jogo, marcando um dos gols da vitória de 3 a 0, que levaria ao título daquele ano. Pelo Rubro-Negro, Gaúcho fez 98 gols em 200 jogos. Ele também teve passagens pelo Fluminense, Atlético Mineiros, Lecce (ITA), Boca Juniors (ARG) e Ponte Preta. Em 1996, aposentou-se pelo Anápolis. Ainda se aventurou como treinador no Mixto e no Luverdense. (Terra)