UBAITABA: O MILAGRE DE PAULO (Por Hugo Henrique (*)
  • 1.825
  • 0
  • 02/07/2016 
  • redacao

hugookok

Paulo de Tarso, ou São Paulo como também é conhecido foi o discípulo de Cristo que perseguiu e aprisionou os primeiros cristãos na região de Jerusalém, até se converter ao cristianismo e seguir como apóstolo, inclusive, realizando milagres como todos sabemos atualmente.
Apesar de Ubaitaba não ser a Galiléia, muito menos Jerusalém, e apesar de ter como padroeiro o Santo Antônio, algumas semelhanças temos com a história bíblica quando consideramos o cenário político local. O vice e atual prefeito em exercício Paulo Bidú, parece ser o novo santo milagreiro do governo Bêda, que em ano de pleito tenta salvar sua “obra” que sofre as penas da inquisição, aliás, da oposição, aliás, da população. O anúncio da candidatura de Bidú para prefeito surpreendeu a todos na cidade, não por ser Paulo, mas pelo fato de Bêda resolver deixar que o poder, pelo menos oficialmente, escape das mãos família Almeida, cumprindo sua “via crucis” ao anunciar sua promessa.
Paulo como seu xará bíblico, no início também “perseguia” cristãos, aliás, membros da situação. Era protestante e não negava para ninguém sua aversão ao catolicismo Peemedebista. Já foi em rádio rezar pai nosso contra o tinhoso, deixou claro que não era adepto daquela paróquia e já chegou a ensaiar candidatura pela oposição. Mas… Igualmente a São Paulo, teve a visão de uma grande luz e quando voltou a enxergar já estava catequizado e comungando como vice prefeito pelo grupo governista.
Há quem diga que a consumação desta “graça” tem inúmeras penitências ao beneficiado, no caso Bidú, mas também há quem diga que tal boa nova seja nada mais nada menos, que o “beijo de Judas” de quem quer continuar subindo aos “céus do palácio da Colina,” Mas… Também há quem pense, que em última instância, seja mesmo uma saída para salvação da obra, já que São Paulo apesar de não ter feito milagre algum até o momento, vem tentando transformar inferno em purgatório, ao invés de se juntar com o cão para chicotear seus munícipes e remexer o caldeirão como o prefeito Bêda vinha fazendo.
De fato Paulo Bidú tem o nome mais leve para uma eventual disputae nos poucos momentos como prefeito em exercício executou obras simplórias, mas que ganharam efeito de grandiosas já que o atual prefeito não fazia nenhuma há muito tempo. É inegável que a ruptura de Paulo com a oposição no passado pesará sobre sua atual candidatura, porém, mesmo que ganhe é bem possível que Bêda continue como primeiro ministro como ocorreu no Governo Alexandre.
Por outro lado, Paulo sabe que é um grande risco assumir um governo desgastado, numa eleição  difícil e disputada até o último voto com grande probabilidade de derrota, isso é claro, se a oposição parar de dizer que está unida, quando na verdade anda brigando nos bastidores. Todos entendem que o momento é esse e que é muito melhor estar numa condição de coadjuvante do que não participar do filme, mas inevitavelmente todos querem o papel principal e isso se isso for assim, não vai precisar nem do milagre de Paulo. Enfim… Vamos esperar para ver, com milagres de São Paulo, com a traição de Judas ou com a queda do Papa… Tudo é possível – é eleição!

 (*) -Hugo Henrique Ribeiro de Almeida- Acadêmico do 4° ano de Medicina da Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC; Coordenador Estadual do Comitê Brasileiro de Ligas do Trauma – CoBraLT; Membro da Liga de Clinica Médica – LACME/UESC; Articulista do Jornal Tribuna da Região.