EMPRESÁRIO É CONDENADO A 28 ANOS DE PRISÃO PELA MORTE DA ESPOSA
  • 231
  • 0
  • 21/07/2017 
  • Redação
Edivan foi condenado pela morte de esposa (Foto: Divulgação)

Edivan foi condenado pela morte de esposa (Foto: Divulgação)

O empresário Edivan Ribeiro foi condenado a 28 anos de prisão, em regime fechado, pela morte da esposa, Kátia Cristina Lima, em 27 de dezembro de 2010. Edivan foi levado a júri nesta quinta (20), no Fórum de Camacan, no sul da Bahia. Edivan foi condenado por homicídio triplamente qualificado. O juiz Felipe Renomato determinou o cumprimento imediato da pena. O empresário Edivan Ribeiro poderá recorrer, mas na prisão. O empresário será encaminhado para o Conjunto Penal de Itabuna. A sentença foi ouvida atentamente pelos familiares e amigos de Kátia Cristina Lima. A cidade se mobilizou para acompanhar o julgamento. O crime comoveu a pequena cidade do sul da Bahia. Ao proclamar a sentença, o juiz Felipe Remonato o julgou culpado por agir com “extrema covardia, insensibilidade e frieza”. E completou: “além de “premeditar o crime, demonstrou ser pessoa violenta e dissimulada”.  Kátia foi morta na noite de 27 de dezembro de 2010. Ela acabara de participar do culto da igreja da qual era membro. Saiu do templo com dois dos três filhos e a própria mãe. Ao aproximar-se do veículo e tentar abrir a porta, acabou executada a tiros na frente dos filhos e da mãe dela. Conforme as investigações, Reginaldo Amaral, o Regi, atirou contra a vítima, sendo condenado a 28 anos de prisão no julgamento em 2014. Ovídio Santos Sampaio acabou condenado a 30 anos por ser o contato de Edivan para a contratação do pistoleiro. De acordo com as investigações, Edivan contratou pistoleiros para matar a mulher, porque não queria dividir a herança. Kátia planejava se separar dele ao descobrir que estava sendo traída. (Pimenta)