PREFEITOS DE ITACARÉ E MARAÚ DISCUTEM MEDIDAS PARA ACABAR COM OS LIXÕES
  • 564
  • 0
  • 13/05/2021 
  • redacao

 

Os prefeitos de Itacaré, Antônio de Anízio, e de Maraú, Manassés Souza, se reuniram na manhã desta quarta-feira (12) com representantes do segmento empresarial para discutir alternativas para acabar de vez com os lixões nos dois municípios, implantando de forma compartilhada os aterros sanitários, evitando assim os problemas ambientais e envolvendo toda a comunidade no processo de coleta seletiva.

O objetivo é que os dois municípios, juntamente com as demais cidades vizinhas interessadas em fazer parte do projeto, possam ter um aterro sanitário de forma compartilhada, seguindo todas as normas ambientais, facilitando a coleta e diminuindo os custos de manutenção.

Durante o encontro os dois prefeitos falaram das dificuldades para a destinação dos resíduos solos e do desafio que será transformar os atuais lixões em aterros sanitários, que são menos nocivos ao meio ambiente, pois são construídos para evitar a contaminação do solo, da água e do ar. Diante dos altos custos para a manutenção de um aterro sanitário, a proposta é de Itacaré e Maraú, com o apoio da sociedade civil e do segmento empresarial, criarem uma unidade compartilhada.

O objetivo é que outros municípios vizinhos, a exemplo de Camamu e Ubaitaba, também possam fazer parte do projeto. Para isso os prefeitos desses municípios serão convidados para conhecerem a proposta dos aterros compartilhados.

Os prefeitos Antônio de Anízio e Manassés Souza fizeram questão de enfatizar que acabar com os lixões foram compromissos assumidos com a sociedade e que serão cumpridos pelas duas gestões municipais.

E a proposta é aterro sanitário compartilhado, que será construído longe de centros urbanos, para evitar transtornos à população, como o contato com o mau cheiro, por exemplo. “Essa é uma obra de engenharia projetada para reduzir os danos que o lixo causa à natureza e à sociedade”, explicaram. (Fonte: SECOM-Secretaria de Comunicação/Prefeitura de Itacaré)

Paralelo ao aterro sanitário, os municípios também estarão implantando uma campanha educativa como forma de conscientizar a comunidade sobre a responsabilidade de todos com o ciclo de vida de um produto, desde a sua produção até o destino final. Nesse sentido, as Prefeituras vão incentivar coleta seletiva, onde o cidadão possa separar os lixos secos dos molhados, facilitando a coleta e colaborando com o meio ambiente.

A comunidade também será orientada sobre os dias e horários da coleta, bem como os locais corretos para a colocação do lixo, onde a própria sociedade possa fiscalizar e colaborar com uma cidade mais limpa, com mais saúde e muito mais bonita.