ÔNIBUS DE SALVADOR PASSAM A TER FILTROS DE AR-CONDICIONADO ANTI-COVID
  • 393
  • 0
  • 06/07/2021 
  • redacao

Equipamento foi instalado em 92 veículos e elimina 99,9% de carga viral em ambientes fechados

Para quem tenta evitar a contaminação por covid-19 e necessita sair para trabalhar ou resolver pendências do dia a dia, o transporte público é um dos maiores riscos diários. Fechados, com pouca ventilação e muita gente, os ônibus viraram ambientes onde o vírus se cria e permanece no ar.

Isso deve deixar de acontecer a partir de agora, pelo menos nas linhas de ônibus com ar-condicionado da capital baiana que são operadas pela OT Trans. A empresa instalou, em toda sua frota com climatizadores, um filtro capaz de eliminar 99,9% das cargas virais – incluindo a covid-19. A notícia foi divulgada em primeira mão na programa Empregos & Soluções do CORREIO, na última quarta-feira (30).

A ação do equipamento da Salvar é bem simples, como explica Loyola Neto, CEO da startup, que explica que o filtro é uma barreira ainda mais rígida, capaz de deter partículas minúsculas de vírus e bactérias. “Colocando o nosso filtro, o ar que fica sempre circulando dentro do ônibus e que pode estar contaminado é puxado pelo ar-condicionado, passa pelo filtro e tem 99,9% da carga viral eliminada. Depois, ele volta para o ônibus. Ou seja, vem para o aparelho contaminado e volta filtrado”, explica o CEO.

Loyola também falou sobre o material utilizado. “É um tecido que é incorporado por íons de prata, que conseguem reter o vírus. É como se o filtro tivesse um monte de espinho e, na hora que o vírus bate, a membrana dele é rompida, eliminando ele”. O filtro não torna dispensáveis os cuidados contra a covid-19, como uso de máscara e higienização das mãos.

Startup Salvar desenvolveu produto junto com o Senai Cimatec
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)

A necessidade de não se desfazer dos cuidados é reforçada por Mateus Todt, infectologista da S.O.S Vida. “A transmissão pelo ar é menos efetiva do que a pelas gotículas, através de proximidade, contato direto ou indireto em corrimãos dos ônibus, por exemplo. É fundamental manter os cuidados, pois a principal forma de transmissão não é eliminada pelo filtro, ele é uma alternativa para reduzir os riscos”, alerta Todt.

Precaução
Apesar do apelo pela manutenção dos cuidados, o infectologista afirma que o filtro traz uma contribuição importante no combate à transmissão. “Todo esforço para tentar reduzir a circulação do vírus é válido. É uma medida efetiva para retirar o vírus do ar”.

Inclusive, foi a partir dessa percepção que os filtros chegaram aos ônibus. De início, eles foram criados para climatizadores de casas, lojas, entre outros. A Fiocruz de Pernambuco, através de um estudo onde coletou amostras de locais de toda Recife, comprovou que os terminais de ônibus são os locais com mais risco de contaminação. Das amostras coletadas nesses lugares, 48,7% deram positivo para a presença do vírus. Em segundo lugar, ficaram as imediações de hospitais, com 26,8%.

Leonardo Santiago, co-fundador da ArejaBus, que tem experiência em ações ligadas ao transporte público, intermediou o contato da Salvar com a OT Trans e fala sobre a economia na utilização do equipamento. “O filtro da Salvar retém partículas muito menores do que os filtros normais conseguem. Quanto mais partículas você consegue reter, menos se colocam no evaporadores, evitando que a troca térmica seja prejudicada, reduzindo assim o consumo do ar-condicionado”, explica.

Segundo Helbert Fernandes, superintendente de manutenção da OT Trans, a aposta nos filtros é pela saúde dos passageiros. “É um projeto que tem como objetivo permitir que as pessoas sejam transportadas com uma qualidade de ar circulando. A nossa premissa é oferecer um transporte de mais qualidade e mais seguro para Salvador”.