IBIRAPITANGA REALIZOU NESTE DOMINGO O PRIMEIRO CASAMENTO HOMOAFETIVO DA REGIÃO
  • 1.510
  • 1
  • 11/05/2015 
  • redacao

 

Flávia Barreto Fernandes Flávia Barreto Fernandes e Rozilene Jesus Da Paz

 Flávia Barreto Fernandes e Rozilene Jesus Da Paz se beijam após a cerimônia

Na manhã da última sexta-feira 08,  foi realizada oficialmente a primeira união entre duas mulheres na Comarca de Ibirapitanga-BA.

Flávia Barreto Fernandes (34), ibirapitanguense, filha de Cristovão Luiz da Silva Fernandes e Delma Barreto Fernandes ficou encantada por Rozilene Jesus Da Paz(46), soteropolitana, filha de Maurino Rodrigues da Paz e Dilma Angélica Jesus da Paz.  Ambas resolveram eternizar a união e casaram-se de “papel passado” deixando de lado as opiniões e críticas e decidindo viver o amor que aproximou as duas.

O casamento ocorreu no Fórum local.

Flávia  Barreto Fernandes e Rosilene oficializaram a união  no
Fórum local

 

A Resolução sobre casamento entre pessoas do mesmo sexo foi aprovada pelo Conselho Nacional de Justiça desde 2013 e desde então, nenhum cartório de todo Brasil, pode recusar a celebração de casamentos homoafetivos. Resolução nº 175, de 14 de maio de 2013, aprovada durante a 169ª sessão Plenária do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Diante o direito assegurado pela Lei, essas mulheres poderão viver em comunhão, sem preocupação com a opinião alheia. A certidão de casamento das noivas foi concedida pelo juiz e promotora local.

Enfim, quem somos nós para julgar ou condenar alguém? “Quantos casais “considerados “Certos” “vivem de forma” errada”, infelizes, sem respeito mútuo, sem compromisso e nem por isso são tão apontados assim”. O Ibira online registrou esse momento não somente por ser o primeiro na cidade, mas por se tratar de notícia.

 

gay 03

Após  o casamento elas  exibem as certidão

Após o casamento elas exibem as certidão

“A realização de um sonho… É nisso que resumo a oficialização da nossa união. Já são quase oito anos de convivência em uma relação sólida construída com cumplicidade, lealdade, carinho, respeito, fidelidade e muito amor… Onde tivemos nossos momentos sempre bem vividos de felicidades, desafios, companheirismo e novas descobertas. É através dela, hoje minha esposa “Rose”, que me fortaleço a cada dia, para provar não aos outros, mas a nós mesmas o quanto vale a pena ser feliz ao lado de quem tanto amamos, independente de padrões sociais… Uns contra, outros a favor, não importa… Meu amor por ela é feito e se tornou real aos padrões do meu coração… Nosso amor existe! E veio para se eternizar… Te amo minha vida… E que Deus abençoe nossa União”! Disse Flávia

“Amor! Sei que a vida devido ao preconceito e a descriminação tentam a nos levar para caminhos diferentes, mas o AMOR nos leva sempre para junto da outra. Por isso chegamos até aqui a uma união plena, fiel e segura. Por nós e por todo o amor que sentimos que tenho o maior orgulho de lhe dizer: Eu Te Amo” Disse Rose

“Entender, aceitar, ou respeitar relacionamentos homossexuais não são tendências, atitudes anormais, tampouco gestos sinônimos de modernidade ou contradição ao pensamento dominante. Estes são apenas feitos provindos da educação de pessoas que compreendem de fato o amor, capazes de amar verdadeiramente o próximo”.  Dhieferson Lopes

“Sou a favor de casamentos gays, aliás, nem gosto de usar esse termo casamento gay! Afinal são duas pessoas que se amam, que estão se unindo, construindo uma vida. E pra mim é um casamento como outro, desde que as pessoas envolvidas, tenham caráter, sejam honestas e estejam realmente dispostas a respeitar o seu conjugue. Quantos casais heterossexuais casam-se e não tem se quer discernimento, do que significa a palavra união? Quantos casais são capazes de gerar vida e abandonam seus filhos? E quantos casais gays criam com dignidade e o essencial que é amor crianças abandonadas por seus supostos pais? Cabe a Deus julgar e como dizem DEUS é amor”! Ligia Souza (SP).

Reportagem e fotos: Rita Santos (Ibira Online)