PROJETO VERÃO:PRAIAS DE BARRA GRANDE JÁ TÊM SALVA-VIDAS; AÇÕES DEVEM INIBIR TRÂNSITO DE VEÍCULOS NA ORLA
  • 945
  • 0
  • 23/12/2016 
  • redacao
Os Salva-vidas simulando resgate

Os Salva-vidas simulando resgate

A prefeitura municipal de Maraú, através da secretaria de turismo e lazer lançou nesta semana o Projeto verão 2016/17.  Além disso, as ações devem inibir o trânsito de veículos na orla, o controle das embarcações nas praias e o monitoramento e sensibilização dos impactos ambientais nas piscinas naturais

A operação teve início pela necessidade de oferecer segurança aquática (em função da reavaliação do potencial de riscos à saúde pública) para visitantes e moradores, no segundo semestre de 2015. Naquela oportunidade, através de um pedido da sectur uma equipe do corpo de bombeiros realizou o mapeamento oficial das áreas de risco. Então a prefeitura em parcerias com APEMA e a comunidade, implantou boias de arinque nas piscinas naturais de Taipu de Fora.

Um dos objetivos do projeto verão 2016/17 é da continuidade ao projeto de segurança aquática, agregando uma ação de capacitação de moradores locais como salvamares. Além disso, as ações devem inibir o trânsito de veículos na orla, o controle das embarcações nas praias e o monitoramento e sensibilização dos impactos ambientais nas piscinas naturais e sua flora e fauna existente (em parceria com o projeto SOS corais).

A operação teve início no dia 20 de dezembro e segue até o dia 30 de janeiro, dando prioridade de 2 áreas consideradas de maior risco: Barra Grande( Ponta do mutá) e Taipu de fora.As ações consistem em contratar, equipar, capacitar e distribuir estrategicamente uma mão de obra especializada, valorizando os moradores, gerando qualificação, emprego e renda.

As ações  serão realizadas por 2 equipes de 4 salva vidas nas duas bases fixa que irão se revesar durante os 42 dias. Estes oitos profissionais serão responsáveis por selecionar os candidatos capacitados que serão prioritariamente moradores da península.

Neste verão os salva-vidas formados irão priorizar ações de cunho preventivo, como distribuição de folhetos alertando sobre os riscos de afogamentos e sobre as leis municipais que proíbem a circulação de veículos nas praias. A contratação da equipe será realizada apenas depois  de um teste de aptidão física.

Coordenação:

Será formada por 1(Salva-vidas, socorrista e turismólogo), 1 (Socorrista e jornalista), 1 (cientista social) e uma (Turismóloga). Responsáveis pela execução em campo da operação que irão capacitar, implantar, gerar relatórios avaliar e gerenciar o serviço de salvamento aquático

Os equipamentos de resgate serão fornecidos por uma empresa contratada, onde todos estes deverão ser protocolados e vistoriados por prepostos da secretaria de turismo. Serão construídos torres de madeiras em pontos fixos com boa visualização para áreas onde acontecem afogamentos, barracas móveis de lona e cadeiras com proteção ao sol. (Barra Grande News)