PERCA A RAZÃO E ENTENDA O SÉRIO RISCO QUE VOCÊ CORRE AO SE RECUSAR A NÃO FAZER O EXAME DE PRÓSTATA
  • 462
  • 0
  • 09/11/2014 
  • Redação

PROSTATA1Há cinco anos, o consultor JAS (nome fictício para preservar fonte), 69 anos, voltou a ter uma vida social plena e normal. Ele sofria com um problema que atinge a maioria dos homens maiores de 45 anos: o aumento progressivo da próstata, também conhecida como hiperplasia benigna de próstata.

No caso do consultor, o problema terminou por provocar um quadro de incontinência urinária que o levava a restringir suas saídas e comprometia até mesmo a vida sexual. “Nos momentos de crise, cheguei mesmo a usar fralda adulto e a situação era altamente constrangedora”, conta

A saúde da próstata é objeto da campanha Novembro Azul, que faz alusão à Campanha Outubro Rosa, contra o câncer de mama. Ao longo do mês, uma série de atividades chamará a atenção da população masculina para os cuidados com a saúde em geral e em especial com essa glândula responsável pela produção de 1/3 do sêmen e localizada abaixo da bexiga e na frente do intestino dos homens.

O tema da campanha nacional este ano é “Um toque pela vida, um drible no preconceito”, como um incentivo para que homens realizem seus exames preventivos em busca do diagnóstico precoce, especialmente do câncer de próstata, que é o segundo tipo da doença mais comum entre os homens brasileiros, segundo o Instituto Nacional do Câncer, perdendo apenas para o câncer de pele.

Para o coordenador da campanha na Bahia, o urologista Wagner Coêlho Porto, quando o assunto é saúde masculina é preciso atacar duas questões importantes: a resistência do homem em achar que não adoece e a oferta de serviços especializados na rede pública. “Justamente por isso estamos programando uma série de atividades que vão da iluminação azul em diversos prédios de Salvador e do estado e a realização de palestras e mutirões de atendimento”, completa.

Os jogos realizados nos estádios Barradão e na Arena Itaipava Fonte Nova também terão ações específicas para lembrar aos homens a importância de cuidar da saúde. No próximo dia 13, os especialistas realizarão no Centro de Convenções da Bahia, o 2º Fórum Norte Nordeste da Saúde do Homem.

Sintomas
De acordo com o urologista Francisco Costa, da Clínica do Homem, embora o crescimento da próstata seja um processo normal com o envelhecimento da população masculina, é preciso que o quadro seja acompanhado para que não haja desconforto ou dificuldades urinárias. “Geralmente, os homens reclamam de jato fraco, bexiga que não esvazia ou micção por tempo muito prolongado e essa retenção da urina pode gerar as infecções urinárias”, explica o especialista.

As infecções urinárias, por sua vez, alteram o Antigênio Específico da Próstata(utiliza-se internacionalmente a sigla PSA, do inglês Prostate Specific Antigen) que pode gerar uma confusão com o aumento gerado pela presença de um tumor, daí a necessidade de cuidar para que a presença de uma infecção urinária não gere um resultado falso. Francisco Costa ressalta que o aumento da próstata não tem relação com o câncer, mas que após os 40 anos, todos os homens precisam estar mais atentos à saúde de um modo em geral. “É claro que o Novembro Azul cumpre um papel de sensibilização importante, mas o homem não é a próstata e sim um todo que precisa ser bem acompanhado”, completa.

O professor adjunto da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia e coordenador do Serviço de Urologia da Cárdio Pulmonar, o médico Lucas Batista, pontua que, como nas situações onde a bexiga não é esvaziada, a urina se concentra, formando pequenos cristais, os cálculos. Aliado a isso, as infecções tornam a bexiga espessa, atrapalhando a função do órgão e contribuindo para a retenção de urina. “Nas situações mais graves, pode haver até insuficiência renal e a necessidade do uso de sonda”, diz. Quando o assunto é o câncer, o urologista Manoel Juncal ressalta que geralmente não há sintomas e quando esses aparecem, a doença já se espalhou por outros órgãos, daí a necessidade de investir em diagnóstico precoce.

Obra reúne 30 plantas medicinais baianas com seus usos e  receitas:
Mastruz para sinusite e enjoos; mentrasto para bronquite; caju para infecção urinária, aroeira para gastrite; e dezenas de outras plantas cujo uso medicinal é reconhecido fazem parte da flora predominante do Sudoeste da Bahia.

Foi para preservar estes conhecimentos que será lançado no próximo dia 19, na cidade de Caetité, o livro Plantas Medicinais Saberes Tradicionais. Na obra – produzida pela Renova Energia – foram indicadas e identificadas 109 espécies de vegetais, mas para chegar a esse resultado, uma equipe de biólogos e técnicos contou com a ajuda de dezenas de raizeiros;

rezadores, curandeiros e parteiras, conforme eles mesmos se reconhecem, de comunidades de Caetité, Guanambi, Igaporã e Pindaí, região onde se situam os parques eólicos da Renova Energia. A obra será distribuída para escolas regionais.