ROTARY CLUB DE ITABUNA DISCUTE AÇÕES EMPRESARIAIS DURANTE PANDEMIA DO COVID-19 EM PALESTRA
  • 117
  • 0
  • 21/05/2020 
  • redacao

 

Na última reunião do Rotary Club de Itabuna, realizada através de videoconferência, o rotariano e Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Itabuna – CDL, Carlos Veloso Leahy, abordou em palestra o tema “Ação empresariais com o COVID-19”. Esse foi mais um debate da série que o clube vem realizando a fim de manter os membros atualizados sobre o que ocorre nos contextos local e global em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

O palestrante relatou inicialmente os muitos desafios que os empresários tem enfrentado após 53 dias de comércio fechado em Itabuna, destacando que cerca de nove lojas no centro da cidade infelizmente anunciaram o encerramento de suas atividades.  “Os desafios tem sido enormes. Os prejuízos econômicos e sociais são difíceis de mensurar, pois ainda não sabemos até quando essa pandemia irá durar”, lamentou.

 

Em contrapartida, falou sobre a criação da comissão de combate a pandemia do COVID-19, cujo objetivo é reunir esforços a fim de encontrar uma solução segura e viável para minimizar os efeitos negativos dessa pandemia na economia local. A comissão reúne a CDL e outras entidades de classes que tem debatido e apresentado alternativas, entre elas, a criação de protocolos de segurança para o funcionamento do comércio.

Por meio de negociações, a forte atuação do grupo já alcançou algumas conquistas como a inclusão nos decretos municipais de outras atividades como essenciais, a exemplo das lojas de materiais de construção, das oficinas mecânicas e mais recentemente, das óticas. Além disso, conseguiu a permissão para o atendimento através de serviço delivery para outros segmentos.

De acordo com Leahy, a maior dificuldade está no atraso do poder público em criar estrutura organizada nos hospitais com UTIs e enfermarias para prestar atendimento à população com a consistência e a urgência que a situação exige. Enquanto isso, o grupo mantém-se buscando alternativas a curto e longo prazo e conta com o apoio de instituições como a UFSB e a UESC, que se aliam à comissão de combate ao COVID-19 no município para construir um plano bem elaborado a fim de tirá-lo o quanto antes da paralisia generalizada causada pela pandemia.