MARAÚ: MAR AVANÇA NA PENÍNSULA E EMPRESÁRIOS CONSTROEM BARREIRAS DE CONTENÇÃO
  • 762
  • 0
  • 04/07/2020 
  • redacao

A Retro-escaveira é utilizada para transporte e na arrumação das pedras (Foto: H. Hugo)

As barreiras de pedra bruta são construídas para proteger as propriedades do avanço do mar (Foto: H. Hugo)

Talvez pela falta de equilíbrio em nível geral, que as ameças estão se estabelecendo a cada dia, com maior força, a exemplo do aquecimento global que tem contribuído para o avanço do mar, trazendo a  ameça de destruição de residências, pousadas e outros imóveis próximos à praia. Em algumas praias da península, o mar já avançou  mais de 15 metros.

Com marés cheias, cada vez mais altas,  as praias de Algodões, Saquaíra, Taipu de Dentro e Barra Grande  vão aos poucos diminuindo a faixa de areia. Em Saquaíra,  o mar já  destruiu alguns estabelecimentos comerciais, nos últimos cinco anos. Em Barra Grande, as barracas que ficam de frente para o mar  estão com suas proteções parcialmente  destruídas.Todas elas feitas de pedras e troncos de madeira mas  não resistem ao impacto das águas.

.Nas praias, em Algodões, proprietários  de pousadas, sitos e casas de veraneio se uniram para construir barreiras de proteção,  com pedras imensas para conter o avanço do mar. Apesar do alto custo das pedras, que são transportadas em caçambas, diretamente das pedreiras, em Ilhéus, chega até a beira da praia  a um custo estimado em R$ 1.700,00 (Hum mil e setecentos reais). Além disso é necessário a utilização de uma retro-escavadeira para a colocação da pedras. Na orla do Loteamento, alguns proprietários foram obrigados a utilizarem da mesma técnica, para proteger seus imóveis da eminente ameaça. Já está na hora do poder público entrar em ação e tomar as devidas providências para evitar danos maiores  ao loteamento. (jornatribunadaregiao.com.br)