APÓS SUL-AMERICANO, ATLETAS DO REMO MÁSTER DA BAHIA LUTAM POR VIAGEM PARA O MUNDIAL
  • 581
  • 0
  • 23/05/2015 
  • redacao
Atletas do Remo Máster Baiano | Foto: Jamile Amine/Bahia Notícias

Atletas do Remo Máster Baiano | Foto: Jamile Amine/Bahia Notícias

Depois da campanha no XX Campeonato Sul-Americano, disputado em Porto Alegre (RS), em que conquistaram 18 medalhas em 18 largadas, os atletas baianos do Remo Máster seguem em outro tipo de duelo para seguir no calendário esportivo da modalidade. Classificados para o Mundial da Bélgica, os experientes remadores seguem na busca por um patrocinador e aproveitam o momento para promover não somente o esporte, mas também como falar um pouco de uma categoria que a cada ano vem se tornando mais e mais presente na realidade do nosso país.

REMO 02

“O Campeonato Máster tem uma filosofia que prega que o importante é estar praticando. Existem histórias de muitas pessoas que começaram no Remo já no Máster e conseguiram se recuperar de muitos problemas como a obesidade e o alcoolismo. No final das contas, as competições são uma verdadeira festa porque exaltam o esporte”, afirma Edson ‘Zeu’ Santiago, um dos atletas baianos do Remo Máster que esteve em Porto Alegre e fez parte da campanha com oito medalhas de ouro, seis de prata e quatro de bronze, quatro a mais que na edição do Paraguai em 2013. Entretanto, mesmo com o intuito de ajudar no bem-estar e estimular a atividade física, a modalidade não é apenas diversão para Edson e a equipe formada por Marilene Barbosa, Afonso Braga, Helio Borges, Joel Ribeiro (Meu Santo), Jorge Coelho (Bacalhau), Nilson Santiago, Renato Borges e Ronaldo Argolo. “Fomos inicialmente chamados por Joel ‘Meu Santo’ e na maioria somos ex-remadores. E empolgados com o contexto de ser um dos esportes máster com maior participação ativa, fomos atraídos novamente para as competições e depois dos primeiros resultados que tivemos no Rio de Janeiro, com dois vice-campeonatos, ficamos mais empolgados em nos dedicar mais em busca do ouro”, reitera Nilson Santiago, que fala com orgulho dos títulos conquistados pela equipe baiana e também fala das vantagens em apostar em um esporte voltado para a terceira idade. “Hoje já participamos de três sul-americanos e dois mundiais, com um tricampeonato num Double e dois bicampeonatos no Four Skiff. O nosso projeto relaciona a importância de criar um gancho do esporte com o bem-estar. Queremos mostrar aos planos de saúde, por exemplo, uma nova visão do idoso com foco primando pela saúde física e mental”, complementa.