A CULPA É SUA, A CULPA É NOSSA. (Por Valdemir Liger Neto (*)
  • 2.752
  • 1
  • 15/05/2016 
  • redacao

valdemir

Diante do atual momento político-social vivido pelo Brasil, e atentando-se ao fato de que em outubro teremos eleições, nada mais justo do que observar com atenção a situação da, até então, presidente Dilma Roussef.

Dentre os vários fatos que envolvem o “desgoverno” de Dilma, algumas características merecem ser destrinchadas com atenção.

Como é fato incontroverso, o país vive uma crise econômica de tamanho inigualável. Muitos questionam se houve culpa do Governo sobre tais acontecimentos.

Pois bem, se o governo petista, que diga-se, está há 13 anos no poder, não tiver culpa alguma sobre a situação vivida pelo Brasil, quais seriam o verdadeiros culpados? Existem culpados?

Neste instante é preciso analisar-se friamente afim de entender as razões que fizeram com que Dilma se perdesse e alcançasse incríveis 70% de reprovação.

Inicialmente, é preciso desconstruir a idéia de que o PT é o pior partido do mundo, tampouco Dilma a mais incompetente gestora pública.

A discussão não passa pela extinção do PT ou inelegibilidade dos seus representantes, muito pelo contrário. O problema não está só nos partidos ou seus personagens, está no cidadão que confia cegamente em tudo que é veiculado e reproduzido.

Frente a tudo isso, o cidadão que acompanha e sente na pele a ingerência do governo petista deve protestar como tem feito, no entanto deve ir mais além, afinal em outubro haverá eleições municipais.

Enquanto boa parte da população reclama e demonstra sua insatisfação face ao governo petista, muitos outros preferem bradar que não há solução para o país afinal todos os políticos são corruptos.

Quando o cidadão afirma não haver solução para o Brasil, atribuindo a culpa na falta de políticos qualificados, estes deveriam se fazer uma pergunta óbvia: De onde surge o Político?

Óbvio que os nossos governantes nascem do nosso meio, posto que se corruptos somos, eles assim serão, se egoístas somos, eles também serão.

Entre “Petrolões” e “Mensalões”, nota-se que a maioria dos personagens políticos envolvidos já estão no poder há décadas, e invariavelmente se alternam entre os cargos.

Por mais trágico que pareça, a solução não é complicada, afinal modificando-se a mentalidade do cidadão, consequentemente a sociedade como um todo vai progredir.

Com o fim de corroborar com tal avaliação, vale registrar a ótima entrevista que o empresário João Carlos Paes Mendonça concedeu ao Jornal do Comercio (PE), onde, dentre outros, afirmou que o Brasil deve reagir ou verá uma geração perdida, assegurando ainda que o país precisa de novos líderes, gestão eficiente e reformas urgentes.

Um boa oportunidade de colocar as belas palavras do notável empresário em prática, é melhorar o critério de escolha dos governantes, ou as próximas gerações viverão problemas ainda maiores.

Enquanto centenas de brasileiros tentam achar um culpado para a crise instalada, porque não apurar o maior responsável, o eleitor.

Neste sentido, vale o questionamento : Quantos eleitores se recordam em quem votaram na última eleição?

Sobre tal aspecto, vale mencionar que de acordo com registros do Tribunal Regional Eleitoral (BA) durante as eleições de 2014, o candidato a deputado estadual que tinha como número “12345” foi votado em quase todos os municípios da Bahia. E o motivo não foi a sua popularidade, mas em verdade, acredita-se que pelo número ser “fácil”, muitos eleitores simplesmente digitaram os números em sequência e confirmaram.

Torna-se impossível cobrar melhor comportamento do seu candidato agindo como se votar fosse mais uma atitude. Não, não é. Votar é um ato de cidadania, portanto a urgência em melhorar a escolha dos governantes.

Por fim, e diante do iminente impeachment da presidente Dilma, o cidadão brasileiro, seja pobre, rico, branco ou negro, deve refletir sobre seu papel como protagonista de mudanças na sociedade, afinal, sabe de quem é a culpa? a culpa é sua, a culpa é nossa.

 (*) Por Valdemir Liger Neto, Advogado, Pós Graduando em Direito Civil pela Faculdade Baiana de Direito.

 

 

 


  1. Jessé Lisbôa disse:

    Um dos motivos que crítico a dita democracia de nosso Brasil, está no simples fato de todo cidadão Brasileiro ser obrigado a votar independente do seu grau de instrução! Sendo assim acredito que teríamos melhores governantes em nosso país.

    Parabéns por esse e outros textos de grande qualidade, coragem e dedicação em seu trabalho.